domingo, 3 de fevereiro de 2019

Equilíbrio


Hoje mais que ontem, eu estou buscando me equilibrar mais em cima dos trilhos dessa vida que tanto nos exigem atenção plena, meditação, concentração, evolução... Ação!
 Tenho percebido que em alguns momentos o que nos falta é a ação de silenciar a mente... se deixar por um tempo no vazio existencial e de fato reequilibrar a nossa fonte sagrada de energia e retomarmos a vida de uma forma mais leve... com mais concentração nos atos e atitudes a serem tomadas!
 Talvez estejamos perdendo tempo demais em “problemas” que nos sugam tempo e energia e poderíamos estar rendendo muito mais em benefício próprio e ao do próximo sendo mais positivos e participativos na medida exata que podemos ser, sem ofensas, brigas, medos limitantes e sabotadores e o fundamental sem a perda do nosso importante equilíbrio físico, mental e espiritual!
Compreendo que, a vida de fato nos exige contar até 10... as vezes até 20, 30, ... 100! Pois sermos reativos, impulsivos ou inconsequentes nesses tempos atuais pode ser difícil reverter as consequências!
Confesso que muitas vezes não tem sido uma tarefa fácil ajudar as pessoas a encontrarem também esse reequilíbrio, pois as exigências estão sendo cada vez maiores não só do mundo, mas principalmente as do nosso próprio interior. 
O encantador é saber que somos rica fonte de transmutação e aos poucos estamos descobrindo que podemos sempre mais quando queremos de fato evoluir!

 E para você, como tem sido esse processo de manter o equilíbrio?



8 comentários:

  1. Não tem sido fácil!
    Corri muito tempo ao redor do próprio rabo, como um cachorrinho acreditando na miragem de que o rabo não fazia parte dele. Ilusões que nos jogam no chão exaustos e só assim nos damos conta de que tudo pode ser incluído, visto de outras formas e ângulos e nos trazer aprendizados e o tal equilíbrio! Ando treinando: Respirar fundo. Dar um tempo! Absorver o momento e só depois AGIR!

    Nathy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como diz o Geronimo: Se fosse fácil todo mundo faria!
      Nathy, acho que tudo faz parte do nosso processo evolutivo. Primeiro rastejamos, depois vamos nos fortalecendo para engatinhar, vamos adquirindo coragem para ficarmos de pé e iniciar os primeiros passos, até que nos vemos correndo! Mas só nós e poucos sabem os tombos necessários para alcançarmos vitórias!
      Assim é e será em TUDO! Precisamos não esquecer que os processos mentais também são assim e não deixarmos que o medo nos impeça de progredir SEMPRE!
      Inspire... Expire... E VIVA!
      Grande beijo

      Excluir
  2. Fala Tatiana, tudo bem? Espero que sim.
    Sou o anônimo dos comentários longos de outros posts (não sou o Paulo rs). Falei que ficaria um tempo sem comentar mas achei o tema interessante e então decidi trocar umas palavras com você.

    Equilíbrio... Algo simples e complexo ao mesmo tempo. Acho que tudo em excesso acaba não sendo bom. Mas como alcançar esse equilíbrio.
    Acho que é fundamental buscarmos nos conhecer melhor, questionarmos a nós mesmo sobre nossas ações, intenções, modo de viver, sobre o que de fato queremos, o que é realmente importante pra nós, o que não compensa o nosso gasto de energia, nossas preocupações.
    Se a gente tem uma boa noção de quem somos e do que nos rodeia, provavelmente as nossas fontes de preocupação e distração diminuirão, porque saberemos dizer não ao que não é importante e com isso boa parte da perda de tempo e energia estará resolvida.
    Pra equilibrar temos que eleger prioridades. Penso que é bom ter uma postura reflexiva e fazer balanços pessoais de tempo em tempos pra ver pra onde estamos indo, quais tem sido nossas vitórias e derrotas e no que precisamos evoluir, deixar pra trás e por aí vai.
    Jesus fazia retiros para oração. Em alguns momentos todos deveriam ter ao menos o direito a esses retiros pra não virar um mero passageiro da própria vida. Mudar de planos, local de moradia, amizades, empregos pode ser importante ou mesmo necessário, mas como fazer isso vivendo no automático? Não dá, a vida no automático de certa forma não nos dá a chance de reflexão, se torna uma espécie de mordaça intelectual ou mesmo espiritual.

    Então pra resumir: autoconhecimento e tempo pra relaxar a mente, refletir,rezar (de acordo com a crença de cada um) e aprender a dizer NÃO. Dizer não ao que só nos prejudica de alguma forma: vícios, falsas amizades, empregos com os quais não no identificamos, hábitos negativos que nos marginalizam como pessoas (fofoca, excesso de erotismo, alimentar inveja) entre outros.

    Pra chegar nisso é a tal construção diária que comentei em outro post. Cada dia é um convite a vencer isso e ser uma pessoa melhor e mais verdadeira.
    É fácil? Nem sempre, somos humanos e temos limitações, isso é fato. Mas apesar de nem sempre ser fácil, é possível. E é por esse ângulo que temos que enxergar, o das possibilidade e da esperança.
    Com boa vontade aos poucos vamos evoluindo, mas tem que ter coragem e despreendimento.Eu mesmo, com meus 34 anos sei que tenho provavelmente um bom caminho pela frente (se Deus permitir).

    Pra finalizar gostaria de lhe fazer duas perguntas. Caso não queira responder tudo bem.

    - Quando algum ou alguma pessoa que faz parte de suas terapias ou está fazendo coaching com você lhe pergunta algo ou lhe pede um conselho e você não tem a resposta o que você faz?

    Pra finalizar, imagino que a maioria das pessoas que vão até você sejam mulheres. Mulher de forma geral consegue se abrir mais e falar mais sobre si mesma do que a maioria dos homens fariam.
    Elas provavelmente levam seus problemas, desilusões etc.

    - Como você faz para que emoções negativas, medos e coisas do genêro que chegam até você não influênciem negativamente sua forma de pensar e viver e te deixem mais "pesada", pessimista etc?

    Não tenho nenhuma formação em psicologia nem nada do gênero, mas aconselho que você saiba lidar muito bem com essa questão, não somatize em você questões de terceiros, não traga pra sua vida os pesos dos outros. Psicólogos, assistentes sociais, padres, pastores etc tem que saber lidar muito bem com isso para que histórias tristes, ruins não venham a entristecer a forma como enxergam a vida.
    Não se deixe influenciar pelas histórias dos outros passando a se enxergar por meio de um filtro de pessimismo alimentado por experiências de outras pessoas.

    É isso Tatiana proteja suas emoções também.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, uma última obesrvação, escrevi tanto e não falei algo que faz muita diferença.

      - Não sejamos apenas teóricos, pessoas que de muito conhecimento e pouca ou nenhuma ação, que conhecimentos e consciência geram ações.

      Excluir
    2. Caro Anônimo Analítico.... Sim! Você se posicionou num comentário na postagem anterior e eu já me desculpei numa resposta no mesmo post pelo mal-entendido.
      Que bom que não irá se privar de comentar. Espero ter sempre temas interessantes que despertem nas pessoas a vontade de participar através dos comentários. Essa interação além de me motivar a fazer as postagens contribui de forma significativa para que eu amplie os meus estudos.
      Você tocou num ponto fundamental para trabalharmos a questão das perdas de energia que é o saber dizer não! Saber nos colocar nos momentos necessários e também silenciar quando nada puder ser feito para agregar e não diminuir o próximo. Todos estamos num processo de curas e evolução.
      Concordo com você sobre a necessidade de estarmos sempre revendo através de balanços as nossas trajetórias. Jesus, nos deixou grandes exemplos, acho que precisamos aprender mais com o grande Mestre! Temos ainda muito a aprender diante do tanto de exemplos e ensinamentos que ele nos deixou e não sabemos ainda hoje decifrar ou ter humildade em colocar em prática.
      Você citou mordaças e desconfio que alguns trabalham incessantemente para que elas sempre estejam presentes nas relações, muitas vezes de forma sútil. Quando todos pudermos ser essencialmente amorosos, respeitosos, éticos e menos egoístas, creio que isso deixará de existir!
      Construções diárias e tão necessárias as que você citou.... É preciso um olhar atento para o que rouba o nosso foco e as energias vitais. Nada que o autoconhecimento não nos ajude a drenar, sanar, curar!
      Que os seus 34 anos sejam de rica evolução e tragam para o seu ser a alegria de estar sempre num caminho de ricos aprendizados e conquistas! Nunca, jamais perca a fé em dias melhores! Levante sempre a cabeça e olhe para o horizonte pois será através dele que sempre novas oportunidades surgiram e nos motivará a continuar...
      Quanto as suas perguntas, gostei tanto que farei um post sobre elas respondendo ok?
      Sim! De fato, a maioria das minhas clientes são mulheres, até por que o meu grupo de estudos também são de mulheres. Pode até ser que isso demonstre que as mulheres estão mais receptivas a cuidar desses aspectos. Mas acho importante frisar que isso não quer dizer que os homens não cuidem! Cada um tem uma forma de lidar com as emoções e o universo de possibilidades é gigantesco!
      Agradeço ao seu conselho e a sua preocupação. Constantemente faço uma limpeza energética em mim mesma para que as energias possam fluir com mais leveza e sem baixas vibrações. Proteção e boas ações são fundamentais sempre, não é mesmo?

      Gratidão por mais essa importante interação e oportunidade de reflexões entre nós!

      Um abraço carinhoso

      Excluir
  3. Manter o equilíbrio nos dias atuais é fundamental.
    Bom restante de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    O blog está em HIATUS DE VERÃO até o dia 23 de fevereiro, mas tem post novo. Comentarei nos blog amigos nesse período.

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza... Tarefa difícil mas altamente necessária!
      Feliz semana Emerson!

      Excluir
  4. Menina, eu que já estou quase no meio século de vida, sigo em constante desencontro com o equilíbrio, mas penso ter conseguido certa evolução. Sigo tentando, mas sem tanto compromisso com metas, entende? Acho verdadeiramente bonito quem tem essa disciplina e, mais que isso, essa sabedoria.
    Coisa boa encontrar você pelas ruas da blogosfera, nas quais estou tentando voltar a caminhar.
    Beijo!

    ResponderExcluir